sábado, 23 de agosto de 2008

Dor no peito.

Essa noite, atendi uma menina linda, 10 anos. Rostinho de aristocrata paulistana, com olhos claros, cabelo muito bem cuidado. A mãe estava junto, ambas muito bem articuladas, bem vestidas. No entanto, a criança tinha no rosto estampada angústia e dor. A mãe estava preocupada. "Doutor, minha filha está sentindo há 2 dias uma dor no peito e falta de ar. Já fui em outra emergência, fizemos exames de sangue e fomos dispensadas para observar em casa", disse a mãe com certa frustração na voz. Já era tarde da noite, e me perguntei, cá com meus muitos botões (só o jaleco tem 5 deles), se tem dor no peito, angústia e falta de ar há 2 dias, por que veio tão tarde da noite, quando tudo é mais difícil, mesmo num bom hospital? Mas, tudo bem, não dá tempo de pensar muito, até mesmo porque não deve haver resposta que me agrade. O fato é que eu tinha uma menina com uma queixa real. Agora eu tinha que entender que tipo de problema era aquele que franzia uma testa tão jovem. Pedi para a menina entrar em cena e descrever a própria dor (já tem idade para participar da conversa). Enquanto ela me dizia que sua dor era um aperto no peito (angina? arritmia? endocardite?), com dor na boca do estômago (azia? refluxo? hérnia de hiato? gases? gastrite?) e falta de ar (bronquite? cardiopatia? angústia? ANGÚSTIA? ANGÚSTIA?), percebi um detalhe que gritava mais alto do que suas palavras. Seus lábios estavam feridos, como uma linha que acompanhava a incisão dos dentes superiores sobre os lábios. Perguntei o que era aquilo e ela disse que tirava as "pelinhas". Guardei isso na manga do jaleco.

Numa emergência, somos obrigados a pensar no mais óbvio, mas temos que descartar as possibilidades mais graves. Nós temos pouco tempo para triar, examinar, julgar, decidir e dar um rótulo àquele evento que traz o paciente a vida de um paciente e lhe dar um destino seguro (casa ou internação). Isso tudo em cerca de 10-15 minutos (afinal, é uma emergência).

Primeiro passo: é uma emergência? Parece, pois tem prazo de instalação curto (48h), que gera angústia e pode estar relacionado com real risco de vida ou seqüela.

A história é confiável? Parece que sim, não achei inconsistência.

Existe relação entre a queixa e o exame físico? Neste caso, não, pois o exame físico era absolutamente normal: corada, hidratada, pulsos bons, pressão arterial normal, respiração normal, ausculta respiratória e cardíaca normal, com rítimo normal, sem sopros. O abdome era flácido com um pouco mais de gases que o normal. Pele normal. Quando eu derivava o assunto, ou fazia uma piada, ela sorria e perdia aquela feição de angústia. "Acho que o problema está no coração.... não o músculo... aquele que fica na cabeça e dá nó na garganta, dor de cotovelo, enfado, tristeza.... E aquele lábio ferido... ele falava demais...

O passo seguinte é confirmar minhas melhores hipóteses com comprovações documentais: Rx tórax normal, sem alteração pulmonar e da silhueta cardíaca. Eletrocardiograma normal (gentilmente discutido com a cardiologista infantil que estava de plantão no CTI-ped). Rx abdominal normal, com aumento da aeração (gases) em andar superior. E aquele lábio....

Última vez que havia visto lábios auto-flagelados daquele jeito havia sido numa outra paciente minha, no Rio de Janeiro, também de 10 anos, igualmente linda e amada por sua família, fazia ballet e havia sido vítima de bala perdida. Ficou paraplégica, perdeu os movimentos das pernas, teve uma pancreatite traumática e ficou internada no por meses no hospital em que eu trabalhava. Saiu do hospital recuperada fisciamente, mas com a cabeça afetada (obviamente) por tão radical mudança na sua vida (agora seria uma ex-bailarina pré-adolescente e paraplégica).

Então resolvi pegar carona naqueles lábios. Fiz um pequeno suspense, mudei o tom de voz para mais sério, e disse que havia visto os exames e os levara para a UTI pediátrica para discutir com a cardiologista infantil de plantão o traçado do eletrocardiograma. Quando percebi que havia captado muito bem a atenção das duas (não foi por crueldade), informei confiantemente que os exames eram todos normais, e que a menina estava fora de perigo. Ambas suspiraram e AMBAS sorriram. Disse para a menina: "você é bonita demais pra estragar seus lábios arrancando as 'pelinhas', e aquele minino da escola não vai olhar mais ainda pra você só por causa disso". Perguntei se ela era uma minina ansiosa e a mãe 'se lembrou' que realmente ela fica muito agitada antes das provas. Essa semana ela queria um celular e estava muito ansiosa com isso. Então ela foi "correndo comprar o tal celular". Estava feito o diagnóstico: ansiedade. Não é uma emergência, mas pode colocar em risco toda uma tragetória saudável de uma menina cheia de potencial, de beleza, de acesso a boas coisas, de chances na vida, por causa de ansiedade.

A menina fez uma cara de que não entendeu quando eu disse para sua mãe que achava que era ansiedade. Expliquei que ansiedade era como uma saudade ao contrário. Ela entendeu menos ainda... Perguntei: "quando você sente saudades de alguém, do papai, da mamãe, de alguém que você não vê há muito tempo e queria muito ver agora, você não fica com o coração encolhido, doído, a respiração fica meio pequena e você morde os lábios?". Ela fez que sim (o caminho parecia certo). Então conclui: "ansiedade é a mesma coisa mas é uma saudade do que não aconteceu ainda... saudade de uma boa nota que você ainda não tirou e não tem como saber se vai tirar, saudade de alguém que ainda não encontrou e não tem como encontrar agora, vontade de ter alguma coisa que você ainda não tem e talvez nem deveria ter. Ela sorriu novamente e assentiu com a cabeça. Ganhei a noite... trabalhei feliz.

Um abraço.
PS: Esse blog está ficando meio psi, mas gosto assim... a vida é assim.

25 comentários:

Anônimo disse...

Olá Sr. Pediatra...

Não sou Brasileiro, sou Português, e por isso desde já os meus parabéns, pois é sinal que o seu blog - razao pela qual lhe escrevo - está já com abrangência internacional.

Desculpo-me de antemão por qualquer problema de comunicação que possa surgir pois embora falemos Português há palavras que diferem.

Bem, adiante, eu li o "post" dessa menina com ansiedade e passo a explicar como cheguei cá e porque senti necessidade de escrever:

Identifiquei-me com este caso, eu já há um mês que me sinto com dor forte no peito, do lado do coração, acompanhada por fadiga e pela tal falta de ar... Fiz ecocardiograma e estava normal. Fiz electrocardiograma e apresentava hipertrofia juvenil - que nao consegui perceber o que e mas que me disseram que nao e grave. Porém os sintomas persistem. E foi aí que eu vi no seu artigo... os labios, k a rapariga tirava "pelinhas".

Pois bem, eu comecei há uns anos a roer as pelinhas dos dedos sim... e este ano passei a tirar pelinhas dos labios.

Isto faz me pensar... estarei eu a sofrer desse mal da ansiedade? Como saberei se nem me sinto nervoso? apenas me sinto mal...
Porém ler isto também me deu força, e por isso lhe agradeço mais uma vez. Sou um Rapaz jovem de 20 anos que está a ter uma vida espectacular e que honestamente está aterrorizado com a hipótese de a perder... esta fraqueze e pulsar veio destabilizar a minha vida, mas a ler este artigo eu pensei - isto nao tem de ser algo de mau clinicamente, pode ser apenas ansiedade, afinal eu tenho os dedos um pouco flagelados também.

Fiquei um pouco mais descansado. Obrigado e votos de um bom trabalho por parte de Portugal ;D

Andre Bressan disse...

Fico feliz se puder participar de alguma forma para o seu benefício. De qualquer forma, por mais que você não pense nisso, sentir esse medo de morrer, não vai te dar paz.

Se pode ser ansiedade, procure um psicólogo indicado e de confiança. De qualquer forma, pouca gente morre de ansiedade. Mas o coração precisa de garantias. Se você acha que vale a pena uma 2a opinião, procure um outro cardiologista, de renome, também bem indicado.

Qualquer novidade, deixe-me saber.

Um abraço, Deus o guie e guarde.

Eliana disse...

Gente, tudo a ver comigo.
há tres dias sinto dores no peito que se irradia para os ombros chego a perceber que esta dor chega até o maxilar.
pois bem... isso começou ha dois anos, tem dias que acho que vou morrer ou que estou infartando.
Será que pode ser da ansiedade?
Afinal de contas faço exames todo ano , e me deu prolapso da valva mitral, mas o medico disse que nao tinha com o que me preocupar. depois procurei um psiquiatra, mas nenhum remedio me fez bem... entao procurei um homeopata que estou fazendo tratamento.... mas acho o tratamento muito demorado..

hoje já ate pensei em ir ao pronto socorro, mas ao mesmo tempo que pode não ser nada somente a ansiedade, pois se fosse um infarto mesmo eu ja teria caido.

Vitória Br. disse...

Olá Dr André , minha filha de 5 anos vem sentindo essa dor no peito a uns 10 meses mais ou menos , estou apavorada , toda vez que acontece isso eu levo no socorro mas dizem que esta tudo bem , escutam e mandam embora , o máximo que fizeram foi um Rx de tórax e eletrocardiograma e estava normal , ela fica pálida e diz que o peito todo dói , não somente o lado esquerdo e que o coração TA BATENDO aos socos , escuto e percebo que as vezes o ritmo é diferente em uns 5 segundos o coração tem vários ritmos um pouco disparado e depois 2 batidas lentas depois dispara denovo , fico então na internet lendo de tudo e por isso encontrei o senhor , queria uma indicação de uma clinica , hospital ou médico de renome no Rio de Janeiro cardiologista . se puder me ajudar te agradeço muito , abraço Vitória.

Andre Bressan disse...

Vitoria,

Obrigado pela confiança.

Vc está correta, há alguma coisa errada com sua filha. Pela sua descrição ela deve ter algum tipo de arritmia e realmente NECESSITA de atendimento médico especializado.

O seu erro é buscar ajuda em pronto-socorro. O médico do prontosocorro (como eu - alguns dias na semana) está procurando por problemas imediatos que representem risco ou desconforto imediato. Investigações devem ser feitos ao nível ambulatorial. O ECG vai estar normal, se não for feito durante a crise (um holter provavelmente ser aplicado).

Estou fora do Rio, há algum tempo, já, mas lembro bem de alguns nomes: Dr. Malguven Duque Estrada (não sei consultório particular, mas lembro que trabalhava no Hospital Geral de Bonsucesso), BabyCor (Tijuca), Prontobaby (Tijuca) e a Carpe (acho que é Botafogo).

Marque logo uma consulta, não deixe pra lá.

Aguardo notícias.

Um abraço,

Anônimo disse...

Ola,tenho 23 anos moro no Canada e estava sentindo pequenas dores no peito,como umas fisgadas no peito,mas so por alguns poucos segundos e quando inspirava eu meio cismado lol fui pesquisar na net se tem alguma coisa com q devo me precupar e acabei lendo todo post acima.Bacana.
Parabens pelo belo trabalho e paciencia.

Marcita disse...

Oi Dr. Preciso q me ajude, pois sinto há mais ou menos uns 3 meses uma dor que fica no meio do peito, entre os seios. Fui ao pronto socorro e fiz RX e meus sinais vitais estavam normais. Tb fiz eletrocardiograma que deu normal. Hj estou com a dor, é como se fosse uma azia, ardência, aperto. Será q é algo relacionado com refluxo ou gastrite? Não sinto dor abaixo do esterno e nem sensação de estômago inchado, mas sim no meio do peito mais para cima do estômago. Será que os senhor poderia me dar uma dica? Será q é refluxo, não sinto o líquido voltando!
Obrigada Doutor

Simone disse...

Dr.,gostei muito de suas palavras.Me ajudaram muito com meu filho de 9 anos,que é o 3º de 4 que tenho. Ele vem reclamando de dores no peito, é bem ansioso e ainda por cima,na escola, disseram que ficassem atentos a qualquer dor por causa da gripe suína. Pronto. A dor apareceu, porém sem nenhum outro sintoma. Parabéns pelo blog.

Magda disse...

Estou nesse momento com a minha filha internada a um dia no hospital, (sete anos), hoje esta fazendo 15 dias com uma dor muito forte no peito, passei 3 vezes no pronto socorro, que dizeram:
1} É refluxo, (pois qdo nasceu ela sofria desde mal}, mandou tomar ramitidina e Digesan. 2} Esta com intestino muito cheio, prissão de ventre, fezes duras.Através do raio X do torax e abdomen, a médica mandou continuar com os mesmos remédios e tomar Nujon e aplicar Miralax.Mas não adiantou, continuou a ter muita dor, então passei num pediatra, minha filha foi examinada e solicitou para ir ao hospital e fazer um Ecocardiograma(o hospital não fez)e eletrocardiograma (normal), estou aqui aguardando o resultado do exame de sangue, urina e fezes.
Mas o que chamou minha atenção Dr.André Bressan, é que sua boca sempre esta com pelinha.Mas se for ansiedade pode ocorrer algum problema físico perigoso?

Vitória Br. disse...

Olá Dr. André ,

A algum tempo entrei em contato com você sobre minha filha . fui fazer exames e consultas e não deu nada de anormal , fez até um ecocardiograma que estava perfeito segundo o médico , mas ela ainda tem os sintomas , ela ficou feliz com o resultado do exame mas um tempo depois , no mesmo dia ja estava triste e me perguntou : mamãe o que eu tenho afinal ? eu não soube responder e ainda não sei ... estou achando que pode ser ansiedade , agora ela esta apaixonada pelo Harry Potter e não para de falar nele ! ja escondi os filmes mas ela pede todo dia p ver , eu acabo cedendo pois temo que ela piore se não tocar o filme , andei lendo na internet sobre ansiedade e achei bem parecido com ela , tem problemas com colegas na escola , sempre estou trocando de escola e ela não se encaixa em nenhuma , diz que quer ir para a escola do Harry Potter ! mas obrigada pela sua sugestão em procurar investigação sobre cardiopatia . graças a Deus ela tá bem do coração ... acho que devo procurar ajuda de psicologa talvez . um grande abraço , Vitória.

Anônimo disse...

Vitoria,

Acho que ela talvez precise tratar do outro coração... :)
Melhoras.

Andre Bressan.

Gisele Martiny disse...

Ola Dr André.

Gostei muito da sua matéria sobre esse assunto. Estava a procura de respostas quanto a esse assunto. Bom eu há algum tempo já tenho dores fortes no peito,ocorrem regularmente, normalmente elas ocorrem quando estou sentada ou deitada, e algumas poucas vezes quando estou em pé ou fazendo alguma coisa, duram em torno de 10 min, não sinto dor fisica, apenas uma pressao grande no peito, uma das últimas vezes que tive, foi realmente bastante dolorosa e demorada, nunca havia sentido tão forte anteriormente, ela se arrastou por peito, pescoço, nuca, braço esquerdo, costas, regiao do estomago, e foi se alastrando na parte inferior da barriga ate que parou, e quando tive estava deitada, demorou cerca de 30 min, tive muito mal estar junto, fiquei branca igual farinha, taquicardia,fraqueza, tonturas, dentre outros, todas as vezes normalmente começa pelo lado esquerdo. Não pratico esportes, sou uma pessoa no momento mais sedentária, pois trabalho e estudo, você acha que posso ter algum problema cardíaco? visto que meu avô morreu de enfarte, e outros familiares tem problemas? porém tenho apenas 20 anos. O que me diz doutor?Obrigada desde já pela atençao!

sarah disse...

ola doutor eu me chamo sarah a mais oi menos duas semana eu comecei a sentir dores no peito e falta de ar fui parar no pronto socorro duas vezes ate no posto de saude fiz exames de raio x e de sangue e urina mas deram normal da primeira vez que eu fui no pronto socorro o medico colocou um aparelhinho no meu torax para ver meus batimentos estava tudo normal gracas a deus so estava acelerado porque estava nervosa depois ele me ouviu e disse que era ansiedade e nervosismo falando da sua postagem eu tambem ranco as pelinhas da minha boca e mordo as bochechas por dentro quando fui no posto de saude a medica que me atende na ginecologia me passou um remedio para gases isso pode ser mesmo gases outro medico que me atendeu me encaminhou para um psicologo ja fui atendidas por varios medicos e eles sempre diz o mesmo nervosismo e ansiedade mas ainda continuo senindo o peito pesado pode ser gases mesmo estou com medo me ajude

Dr. Andre disse...

Sarah,

Você já procurou o tal psicólogo?

Vamos ao fato: você já foi a pelo menos dois cardiologistas e ambos disseram que é ansiedade (isso depois de examiná-la). E você recorre a algum desconhecido na internet por uma palavra diferente da deles... você não acha que é mesmo ansiedade?

Vamos dar uma boa chance para que os que te atenderam estejam certos. Procure um psicólogo. Isso não quer dizer que você esteja louca ou menor que a outras pessoas. Isso só quer dizer que talvez você seja inteligente o suficiente para procurar a ajuda correta para seu problema.

Nada impede que vc volte, se quiser, ao cardio para uma revisão.

Mas até pelo seu jeito de escrever dá pra sentir uma certa hiperventilação...

Um abraço.

Dr. Andre disse...

Gisele,

O que você acha? Claro, procure um cardiologista!

Um abraço.

sarah disse...

ola doutor, tudo bem ,eu ja procurei sim um psicologo ,mas mesmo assim ainda estau com medo, tenho mesmo que confiar que nao tenho nada,a ja nao sei nem o que dizer, fico muito nervosa ,sera que tudo que estou passando pode ser pela falta de um ente querido que morreu recentemente,ainda nao fiz um eletrocardiograma do coracao, ate mesmo que o medico nao pediu na minha familia tem historico de problemas de coracao essa pessoa que faleceu,morreu por causa disso,tenho medo de ser ereditario mas pelo exame de raio x que eu fiz dava pra saber se eutenho ou nao problema de coracao,obrigado por responder a miha pergunta um abraco e um grande beijo a adoro seu blog

Dr. Andre disse...

Sarah,

Não deixe de checar o eletrocardiograma.

Mas não desista da psicoterapia.

Espero que vá bem, e que ambos (cardio e o psi) te ajudem.

Fique em paz.

Um abraço.

sarah disse...

ola doutor eu nao quero desistir da psicoterapia nao,mas quero saber se eu preciso mesmo, fazer um eletro do coracao,se fosse preciso os medicos ja nao teria pedido,eu fico meio confusa com tudo isso preciso de sua resposta,espero que nao acho ruim eu estar postanto no seu blog ok obrigada pela atencao e adoro seu blog

biel-gato10 disse...

ola doutor,parece que estou escrevendo de mais, so que aqui foi aunica forma de conseguir me desabar,no ano passado eu comecei a sentir fortes dores de estomago,fui parar no hospital tambem,os medicos me pediram uns exames endoscopia,e ecografia,fiz mas gracas a deus nao deram nada,por causa disso fiquei mal,parei de estudar,nao quiz mas fazer nada,melhorei as dores de estomago passaram,amem,so que depois de tudo isso,vieram as dores no peito e a dificuldade de respirar,fui no hospital bati raio x e gracas nao deu nada,tenho bastante medo de ter algo e os medicos nao saberem o que e, como ja lhe informei estou tendo acompanhamento psicologico, eu preciso acreditar nos medicos nao e ,para minha propria seguranca, o que eu faco para poder ter confianca me ajude pois foi no seu blog que eu pude me desabafar, por favor nao venha achar ruim a minha insistencia,obrigada pela sua atencao ok beijos

Dr. Andre disse...

Sarah,

Não estou dizendo para fazer o ECG. Só estou dizendo que se um cardiologista pedir, não deixe de fazer. Mas se o especialista ao qual vc foi procurar disse não ser o caso, insista na psicoterapia.

Dor no peito não é igual a problema cardíaco. Pode ser um problema no "coração", mas não necessariamente cardíaco.

Dr. Andre disse...

Biel-gato 10,

Na verdade, eu nem sei quem você é. Não dá pra me perturbar com a insistência.

Mas confiança não é um problema médico, não é um problema de carater, talvez nem um problema psicológico.

Esse é um problema pessoal, de postura junto à vida. Confiar demais é ruim. Desconfiar de tudo é sofrível.

Acho que você deve se envolver mais com pessoas, baixar mais a guarda, deixar a vida fluir mais. Envolver-se com uma comunidade de pessoas e procurar ajuda. Um cardio ou psicólogo indicado por alguém que você goste, talvez lhe passe a mesma confiança que você tem na pessoa.

Um abraço.

miguelsilvak disse...

Olá Dr André, sou de Portugal, há duas semanas, apareceu uma dor no meu peito que piorava quando respirava fundo, fui ao hospital e fiz um raio x ao torax e um eletrocardiograma ao coração e estava tudo normal, entretanto passado uns dias, a dor parece ter desapareceido mas hoje voltou quando acabei de almoçar, não sei o que é isto, acha que pode ser ansiedade? Eu roio as peles das unhas e sou bastante nervoso

Dr. Andre disse...

Miguel,

Uma coisa pode levar a outra, e vice-versa. Ansiedade pode levar à hipertensão e deixar você em risco físico. Palpitações e anginas podem deixar você ansioso.

sugiro procurar não uma emergência, mas um BOM cardiologista. E de quebra, um BOM psicólogo, ia bem.

Bruna disse...

Olá Doutor!

Há tres ou quatro dias, venho sentindo uma dor leve que começou do lado direito do peito, abaixo das axilas bem na costela mesmo. Porem, ela foi se alastrando para o lado esquerdo, para o centro do peito, entre os seios e abaixo tambem. E ontem senti que a dor ia para outros lugares tambem, uma dor leve, e tambem irradiava para os ombros, e para o antebraço esquerdo. Fico muito tensa a noite, com medo que algo de ruim me aconteca e as dores persistem, leves, cada hora em um lugar. Gostaria de saber o que esta acontecendo comigo, quanto mais vejo as coisas na internet mais me assusto, e parece que começo a sentir as dores descritas, alem do braço esquerdo o qual é o meu maior medo. Hoje vou ao medico, mas gostaria de sua opnião. Tenho 19 anos, sou magra, caminho algumas vezes por semana mas nao pratico esportes. Obrigada!

Eliene Teixeira disse...

Ola Doutor,
Sou uma ex estudante de medicina que por motivos finaceiros, nao pude terminar a faculdade. Moro nos Estados Unidos e estava buscando algo para ler, justamente porque estou com angustia (obviamente, meu diagnostico proprio). Um medo doido de morrer sem ter feito algo de bom. Nao procurei um cardiologista, porque acho que é ansiedade. De repente, me deparei com seu blog e amei. Os sentimentos da menina, tem tudo a ver comigo agora. Eu estou mais calma, mas ainda sinto que preciso de ajuda. Boa noite desde Massachusetts.